Maria Bethania 1971 A tua presença


Na postagem do disco Gal Costa 1969 Gal Costa comentamos sobre o exílio de Caetano e Gil já neste disco comentaremos a volta de Caetano e novamente com uma composição de Jorge Ben prevendo a volta do “Mano Caetano” que aconteceria a exatamente um ano depois do lançamento deste disco,em Janeiro de 1972,.
Em 27 de dezembro de 1968, Caetano Veloso e o parceiro Gilberto Gil foram presos, acusados de terem desrespeitado o hino nacional e a bandeira brasileira. Foram levados para o quartel do Exército de Marechal Deodoro, no Rio, e tiveram suas cabeças raspadas.
Ambos foram soltos em 19 de fevereiro de 1969, quarta-feira de cinzas, e seguiram para Salvador, onde tiveram de se manter em regime de confinamento, sem aparecer nem dar declarações em público. Em julho de 1969, após dois shows de despedida no Teatro Castro Alves, nos dias 20 e 21, Caetano e Gil partiram com suas mulheres, respectivamente as irmãs Dedé e Sandra Gadelha, para o exílio na Inglaterra. O espetáculo, precariamente gravado, se transformou no disco Barra 69, de três anos mais tarde. Antes de partir para o exílio, em abril e maio de 1969, Caetano gravou as bases de voz e violão do próximo disco, Caetano Veloso, que foram mandadas para São Paulo, onde o maestro Rogério Duprat faria os arranjos e dirigiria as gravações do disco, lançado em agosto - um dos únicos que não traz uma foto sua na capa. No repertório, destaque para as canções Atrás do trio elétrico (lançada em novembro em compacto simples com
TORNO A REPETIR “COMPACTO POSTADO POR NOS DO ARQUIVO E MESMO SENDO DE DOMINIO PUBLICO FOI CASSADO E PROIBIDO DE SER REPOSTADO POR NÓS SOB PENA DE TERMOS O NOSSO BLOG DESQUALIFICADO E RETIRADO DA NET”),
e Irene feita na cadeia em homenagem à irmã, o grande sucesso Marinheiro só, e regravações de Carolina, de Chico Buarque (regravada muitos anos depois no CD Prenda minha) e o tango argentino Cambalache.

A canção Não identificado, desse mesmo disco, foi lançada em novembro em compacto simples, juntamente com Charles anjo 45, de Jorge Ben, em dueto com o próprio.(OUTRO COMPACTO TAMBÉM POSTADO POR NOS DO ARQUIVO E TAMBÉM CASSADO).
Esta época, pra quem não sabe foi a época da ditadura militar onde o simples ato de se cantar a liberdade o cantor era censurado preso e com muita sorte exilado, pois do contrario e dependendo poderia até ser assassinado.
Percebam ai que Jorge Ben que começara sua carreira com a bossa nova passou pela jovem guarda e acabou a década de sessenta começo de setenta engajadíssimo na tropicália de Caetano e Gil e com o final desta fase o encontro de Jorge Com ele mesmo e com seus fãs no disco Negro é Lindo.
http://arquivodosambarock.blogspot.com.br/2011/10/jorge-ben-1971-negro-e-lindo.html


A1 Janelas Abertas N.°2
A2 Jesus Cristo
A3 Olhe O Tempo Passando
A4 Dia 4 De Dezembro
A5 Quem Me Dera
A6 Mano Caetano

B1 A Tua Presença Morena
B2 Mariana, Mariana
B3 Fôlha Morta
B4 Rosa Dos Ventos
B5 Se Eu Morresse Amanhã
B6 What's New?

Link do Arquivo
Share on Google Plus

About Francisco

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários :